Os impactos da pesquisa por voz do Google nas estratégias de SEO

05/11/2018

Tempo de leitura: 6 minutos

A mudança no comportamento do usuário da pesquisa por voz do Google trouxe consequências para as estratégias de otimização de busca. Conheça quais são elas!

Em um post recente aqui no blog, apostamos na pesquisa por voz do Google como umas das tendências de marketing digital para os pŕoximos anos. O maior impacto dessa modalidade de busca é a quebra de todos os paradigmas de SEO. Em outras palavras, o Voice Search está se tornando um novo tipo de pesquisa orgânica.

No exterior, grandes players como a Amazon e a Microsoft disputam o mercado com o Alexa e o Cortana, seus respectivos dispositivos domésticos. Enquanto isso, no Brasil, os smartphones cumprem a função de responder a comandos de voz.

Curioso para saber o que muda no SEO? Continue a leitura e entenda as consequências desse avanço do Google Assistant para suas estratégias de otimização de busca!

A pesquisa por voz do Google vai se igualar à pesquisa comum

O crescimento da pesquisa por voz do Google vai dar um salto considerável nos próximos dois anos em comparação com a pesquisa tradicional. A consultoria americana de pesquisa de mídia digital Comscore afirma que de 30%, em 2017, o Voice Search vai corresponder a 50% das intenções de busca em 2020 em todo o mundo.

Por aqui, esse movimento é intensificado por dois grandes fatores de mercado. Atualmente, existem 220 milhões de dispositivos mobile com capacidade de conexão com a internet — praticamente um para cada um dos 208,5 milhões de brasileiros.

Essa ascensão ainda é possível pelo desenvolvimento de tecnologias de reconhecimento de voz cada vez mais precisas, cujo investimento chegará US$ 601 milhões até 2019.

A intenção de busca do usuário agora é mais específica

Pesquisar usando a voz é totalmente diferente de pesquisar usando o texto, concorda? Na pesquisa por voz do Google, há duas características predominantes que mudam toda a perspectiva sobre as técnicas de SEO tradicional:

  1. As pesquisas são mais longas, ou seja, usam palavras-chave long tail.
  2. As pesquisas são mais conversacionais e baseiam-se em perguntas.

Sobre este último detalhe, o próprio Google afirma que 70% das buscas no Google Assistant apresentam “linguagem natural”. Na prática, tudo isso significa que o usuário faz questionamentos específicos ao assistente, geralmente complexos.

Por exemplo, uma pesquisa de texto com o termos “clint hub florianópolis telefone” se transformaria, na busca por voz, em “qual o telefone do Clint Hub em Florianópolis?”.

A inteligência artificial procura sugerir termos melhores

Nas pesquisas tradicionais, caso o usuário cometa algum engano ou digite um termo duvidoso, a SERP (página de resultados) automaticamente sugere uma revisão logo antes dos resultados. Acontece que, neste caso, a correção depende da permissão do usuário.

No Voice Search, a plataforma revisa e corrige os termos automaticamente para melhorar a experiência do usuário. Antes de consultar os resultados, o Google Assistant pode indicar a pergunta que melhor representa a intenção de busca.

Tudo isso acontece graças ao Google RankBrain. Trata-se de um sistema de Inteligência Artificial baseado no Learning Machine e que foi lançado em 2015 e hoje é considerado o terceiro fator de classificação mais importante para o SEO.

A posição #0 no ranking de buscas nunca foi tão cobiçada

Da mesma forma que o usuário tem uma intenção ao fazer uma pergunta direta, o Google Assistant faz o possível para emitir uma resposta direta. Assim, em vez de oferecer uma página de opções, a pesquisa por voz do Google seleciona o melhor resultado.

Essa posição zero é conhecida como o featured snippet. São cards posicionados logo no topo da SERP que indicam a resposta mais precisa para o termo de busca. Para galgar a posição, é necessária uma produção de conteúdo regular e uma série de otimizações.

Geralmente, quando o Google encontra um featured snippet, o assistente lê em voz alta o trecho do conteúdo que melhor responde à busca.

O Voice Search está muitas vezes ligado à pesquisa local

De acordo com o Google, o número de pesquisas com a função “perto de mim” cresceram 150% entre 2016 e 2018. Isso porque os usuários demonstram uma tendência cada vez maior de pesquisar informações sobre lugares que desejam visitar.

Se você tem um estabelecimento comercial ou atende um cliente com esse perfil, por exemplo, o ideal é criar uma ficha da empresa no Google Meu Negócio. Quando um usuário pesquisar por opções “perto de mim”, a pesquisa de voz do Google vai indicá-la.

A explicação para isso é que “perto de mim” são palavras-chave universais. Sempre que esses termos estão presentes, os algoritmos de pesquisa automaticamente acionam a listagem de empresas mais próximas cadastradas. Portanto, é lá que você deve estar!

O mobile first e o design responsivo têm mais relevância

Em 2018, o Google passou a indexar e priorizar definitivamente os sites mobile-friendly. Uma vez que a pesquisa por voz se baseia predominantemente em dispositivos móveis, você precisa trabalhar na versão mobile first do seu site.

Uma das características de uma estrutura planejada para smartphones, tablets e outros dispositivos é o design responsivo. Para começar, você pode conferir os 7 passos que sugerimos para aplicar essa técnica no seu site.

A tela de resultados está passando a se tornar obsoleta

Com as pesquisas por voz sendo entregues com cada vez mais precisão, o acesso direto à SERP passará a ser secundário. Logo, o uso da tela também. Segundo a Gartner, cerca de 30% de todas as pesquisas serão feitas sem tela até 2020.

Ao eliminar a necessidade de uso das mãos e da própria visão, a pesquisa por voz do Google passa a priorizar atividades como dirigir, cozinhar ou se exercitar. Por consequência, o acesso às telas se torna opcional e descartável.

Como você viu, a mudança nos padrões de pesquisa por voz do Google atingem as estratégias de SEO, mas são motivadas por um novo comportamento por parte do usuário. No caso do seu negócio, conhecer sua persona com profundidade é fundamental para entender como ranquear seus conteúdos.

Agora que você tem noção dos impactos da busca por voz do Google nas estratégias de SEO, é hora de arregaçar as mangas. Confira nossas dicas para otimizar seu site ou blog para o Voice Search!

Deixe uma resposta

Conectado como wpclint. Fazer logout?

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.